[Politica]

Ministro sob suspeita do governo do PT só saia algemado. No governo Temer, não dura 24 horas



O governo de Michel Temer tem revelado uma série de diferenças positivas em relação aos governos do PT de Lula e Dilma, que atravessaram seus mandatos escondendo os "malfeitos" dos seus ministros. Logo no primeiro mandato do ex­presidente Lula, a Ministra da Secretaria de Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva foi flagrada por de mau uso de dinheiro público ao pagar com recursos da União a hospedagem em um hotel de luxo na Argentina. Permaneceu no cargo por quase dois anos.

 Os governos de Lula e Dilma foram marcados pela impunidade e a dificuldade de demitir imediatamente um ministro corrupto. Pelo contrário, os governos do PT defenderam com unhas e dentes os acusados de corrupção e só os demitiu quando não era mais possível mantê­los nos cargos Depois foi a vez de José Dirceu, Antonio Palocci, Silas Rondeau, Erenice Guerra, Luiz Gushiken, Walfrido Mares Guia, Matilde Ribeiro e até mesmo Romero Jucá, todos envolvidos em denúncias graves de corrupção.

 No caso de José Dirceu, este saiu do governo direto para a prisão. No caso do governo Dilma, praticamente todos os seus ministros foram envolvidos em algum esquema de corrupção e vários se tornaram alvos de inquéritos na justiça e permaneceram no cargo, contrariando qualquer princípio de transparência. 

Dilma gastou metade de seu tempo à frente do governo tentando sustentar os acusados de corrupção no governo. Nunca tomou a iniciativa de apurar um escândalo – e foram muitos. A lista é grande e tem nomes como Cid Gomes, Jaques Wagner, Kátia Abreu, Edinho Silva, Helder Barbalho, Jader Barbalho, Ideli Salvatti, Guido Mantega, Eduardo Braga, Gleisi Hoffmann, Aloisio Mercadante, José Eduardo Cardozo, Ricardo Berzoini e até mesmo Lula, entre outros envolvidos em denúncias graves até mesmo no STF. 

Já o governo Temer não está demonstrando nenhuma tolerância com ministros suspeitos, como foi o caso dos ex­ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência). O afastamento ocorre em menos de 24 horas diante do menor sinal de que o ocupante de alguma pasta esteja envolvido, citado ou apontado por alguma irregularidade. 

A orientação de Temer foi bastante clara neste sentido: "Se ministros efetivamente cometerem ilícitos e equívocos, o presidente interino já disse na primeira reunião, deixam o governo e a vida continua. Entrará outro no lugar e tocará o governo. Ninguém é insubstituível", disse. "O ministro que tiver com problemas, que se explique. Se não conseguir se explicar, deixe o governo",
Ministro sob suspeita do governo do PT só saia algemado. No governo Temer, não dura 24 horas Ministro sob suspeita do governo do PT só saia algemado. No governo Temer, não dura 24 horas Reviewed by Ze Felipe on 6:41:00 PM Rating: 5