[Politica]

Em plena crise, desembargadores ganhando mais de 300 mil por mês, “dentro da lei”


É tudo dentro do que a lei permite, destaca blogueiro de Mato Grosso

Dinheiro de montão no Judiciário: 338 mil para Erotides, 287 mil para Maria H. Póvoas, 256 mil para Rubens de Oliveira – e mais e mais

por Enock Cavalcanti, em seu blog, sugerido por Maria Fernanda Arruda
publicidade


A desembargadora Maria Erotides, em apenas um mês, o mês de dezembro de 2016, recebeu uma remuneração de R$ 338.017,41, que lhe foi paga pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

A desembargadora Maria Helena Póvoas também não tem do que reclamar: em dezembro, sua remuneração (somando salários e o que mais?) bateu na casa dos R$ 287.759,17.

Outros magistrados que ganharam acima de R$ 100 mil reais:

RUBENS DE OLIVEIRA SANTOS FILHO, Desembargador, R$ 256.522,45

MÁRIO ROBERTO KONO DE OLIVEIRA, Juiz de Direito, R$ 180.136,56

SEBASTIÃO DE ARRUDA ALMEIDA, Juiz de Direito, R$ 126.159,06

ANTÔNIA SIQUEIRA GONÇALVES RODRIGUES, Desembargadora, R$ 113.477,13

ABEL BALBINO GUIMARAES, Juiz de Direito, R$ 104.081,86

EMERSON LUIS PEREIRA CAJANGO, Juiz de Direito, R$ 104.081,85

FLÁVIA CATARINA DE AMORIM REIS, Juiza de Direito, R$ 104.281,86

GUIOMAR TEODORO BORGES, Desembargador, R$ 113.477,13

JONES GATTASS DIAS, Juiz de Direito, R$ 108.919,19

MONICA CATARINA PERRI SIQUEIRA, Juiza de Direito, R$ 104.081,86

PAULO DA CUNHA, Desembargador, R$ 102.050,47

Em meio à crise que sacode o Brasil e também Mato Grosso e seus municipios, a média salarial dos magistrados mato-grossenses, juízes e desembargadores, que conseguem juntar um monte de penduricalhos aos seus ganhos, bate na casa dos R$ 70 mil reais – quantia bem superior ao teto constitucional fixado por lei. E quantia bem superior aos ganhos dos seus concidadãos e concidadãs, em nosso Estado.

Com o esquema dos penduricalhos, os magistrados mato-grossenses vão driblando a lei do teto e também a crise, navegando em um conforto inimaginável para a maioria dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiras que são os maiores sacrificados pelo arrocho que a atual conjuntura nos impõe.

No quadro em destaque abaixo, a PAGINA DO E  (clique aqui para ver) divulga inteiro teor da folha salarial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso relativa ao mês de dezembro de 2016. É justo que esses 200 e pouco servidores públicos do Judiciário tenham direito a tanto, em detrimento de uma grande maioria de pessoas que vivem em nosso Estado?

Essa uma reflexão que cabe a todos nós – e principalmente a eles também, os magistrados. É legal? É moral? É justo, em face da crise, com as suas trágicas consequências no setor da saúde e da segurança pública?

Vivemos uma conjuntura em que todos os setores conscientes de nossa sociedade lamentam os 12 milhões de desempregados. Numa situação dessas, não me parece decente alguns poucos servidores públicos se cevarem de forma tão ávida com os recursos públicos deste nosso sacrificado Estado de Mato Grosso.

Via: https://falandoverdades.com.br/2017/01/13/em-plena-crise-desembargadores-ganhando-mais-de-300-mil-por-mes-dentro-da-lei/

Em plena crise, desembargadores ganhando mais de 300 mil por mês, “dentro da lei” Em plena crise, desembargadores ganhando mais de 300 mil por mês, “dentro da lei” Reviewed by Ze Felipe on 1:04:00 PM Rating: 5